Blog Madá

Pilates para portadores de Alzheimer

Precisamos falar sobre Alzheimer. É uma doença degenerativa que ainda não possui cura, mas tem tratamentos que vão além da medicação. Um deles é o método Pilates.

O Alzheimer se caracteriza pela desestruturação do citoesqueleto neuronal, que é uma região do córtex cerebral muito importante para as funções cognitivas.

Trata-se de uma doença que vem associada a distúrbios relacionados ao raciocínio. Para seu diagnóstico, é necessário realizar testes de vocabulários no intuito de explorar a memória semântica do indivíduo.

O pilates vai atuar na estagnação da progressão da doença, por isso é tão importante obter o diagnóstico tão logo se manifestem os sintomas para protelar o avanço da doença.

Mas como o pilates pode melhorar a vida dos portadores da doença de Alzheimer? Neste artigo vamos explicar detalhadamente, como é possível complementar o tratamento com este método e também como prevenir a doença.

O papel do Pilates no tratamento do Alzheimer

Quando em fase inicial, o pilates pode contribuir muito no tratamento da Doença de Alzheimer porque atua mantendo o indivíduo ativo fisicamente. Através de exercícios que trabalham toda a parte cardiovascular e também a resistência, alongamento dinâmico, respiração e controle corporal. 

Desta forma, o Pilates contribui no retardamento das perdas motoras, encurtamentos e deformidades que podem aparecer em decorrência da doença.

O objetivo dos profissionais de pilates que tratam pacientes portadores da doença de Alzheimer é incentivar a independência motora, melhorando a sua qualidade de vida. O treino aeróbico proporciona um sono melhor, a prevenção de lesões ortopédicas e maior autonomia funcional.

Como se toda a parte física não fosse o suficiente para complementar o tratamento dos portadores de Alzheimer com o pilates, essa modalidade ainda ajuda na parte mental, uma vez que os exercícios melhoram a concentração, a memória e a respiração, que ajuda bastante no controle da ansiedade e das emoções.

Especialistas afirmam que a atividade física pode beneficiar a saúde cognitiva através do sistema cardiovascular, que se estende na vascularização cerebral. Essa irrigação sanguínea auxilia toda a citoarquitetura cerebral e as propriedades electrofisiológicas a trabalhar em prol da diminuição da formação de placas amilóides na doença de Alzheimer.

Sem falar na possibilidade de interação social que o Pilates proporciona, uma vez que a sessão de pilates, individual ou em grupo, movimenta muitas informações proprioceptivas que estimulam o cérebro.

O contato com pessoas que estão passando pela mesma situação em níveis diferentes possibilita uma troca de experiência que pode auxiliar no tratamento, ampliando o círculo social dos alunos e melhorando sua auto estima. Embora este não seja um aspecto científico, costuma ser um fator muito importante para a estimulação neural dos alunos com Alzheimer.

Um programa bem elaborado de pilates para pacientes portadores de Alzheimer é, portanto, positivo em muitos aspectos. Tanto na parte física, diminuindo os efeitos negativos da falta de mobilidade e melhorando a elasticidade e flexibilidade do aluno, favorecendo toda a parte cardiovascular. Como também na parte neurológica e trabalhando toda a parte de sociabilidade do indivíduo.

Como as sessões de Pilates são elaboradas

Pensando na especificidade de cada indivíduo, o profissional do Pilates deve planejar as sessões com pacientes de Alzheimer da seguinte forma:

  • Realizar uma avaliação física detalhada para diagnosticar a condição inicial do aluno, bem como o estágio em que se encontra a doença, a nível motor.
  • As sessões devem ser permeadas de muita paciência e contato visual. As explicações devem ser repetidas muitas vezes a fim de oferecer ao aluno a segurança que ele precisa para não se sentir ansioso ou desconfortável.
  • A intensidade de cada exercício merece uma atenção extra, pois eles devem ser executados de maneira lenta e gradual, sempre com o cuidado de que não atinjam o limite da dor.
  • Deve-se manter o ambiente controlado, com comunicação fluida e feedback após cada sessão. É importante a presença de um familiar no local da sessão, a depender do estágio da doença.

É possível evitar o Alzheimer

As dicas para evitar a doença são recomendadas regularmente por médicos e especialistas e acabam por se adequar à prevenção de todas as doenças: praticar atividade física, ter hábitos alimentares saudáveis, o sono deve ser suficiente para recuperação física e mental e levar uma vida sem estresse. Mas sempre há algo a mais que se pode fazer para evitar o Alzheimer.

  • O tabagismo após os 65 anos aumenta o risco da doença de Alzheimer em até 79%. Melhor evitar, não é mesmo?
  • A obesidade pode ser um fator de risco, ampliando em até 3 vezes a possibilidade de sofrer a doença.
  • A diabetes também é um fator contribuinte para o desenvolvimento do Alzheimer, melhor maneirar no doce!
  • Sorrir é o melhor remédio. Evite altos níveis de estresse em idade avançada.

A prioridade para quem está neste patamar da vida é a saúde mental. Seguindo as dicas supracitadas de maneira regular, as possibilidades de avanço da doença diminuem bastante. Para aqueles que são portadores, os sintomas são administráveis.

Por todos esses motivos, se recomenda o pilates para portadores de Alzheimer. Ao realizar essa modalidade tão completa em diversos aspectos, a pessoa se mantém funcional por muito mais tempo e pode usufruir das coisas boas da vida.

Leia também sobre os Efeitos da prática do método Pilates em idosos

Posts Populares

O Vila Madá

O Pilates Vila Madá está em atividade desde 2007 e foi totalmente planejado para oferecer um atendimento diferenciado. Com ambientes amplos, modernos e bem equipados, o local conta com profissionais extremamente capacitados para lidar com cada aluno de forma individual e personalizada.

Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência.