Blog Madá

torção de tornozelo e a fisioterapia

Torção de tornozelo e a fisioterapia

Um tipo muito comum de lesão em pessoas que praticam esportes como basquete, futebol e skate é a torção do tornozelo. Este tipo de lesão ligamentar pode ocorrer em diferentes graus e para cada um deles é indicado um tratamento específico.

É muito frequente a chegada de pacientes desesperados e preocupados com a possibilidade de uma ruptura completa do ligamento e o afastamento do esporte por mais tempo ou em casos mais graves, definitivo. Por isso, o tratamento fisioterapêutico nesses casos deve ser imediato, para que a situação não evolua.

Neste artigo, vamos compreender como acontece a entorse do tornozelo, qual o melhor tratamento e também daremos algumas dicas de exercícios para o fortalecimento desta região.

Como ocorre a torção de tornozelo?

A torção de tornozelo é causada por um movimento repentino que provoca a rotação do pé em relação ao eixo da perna, deixando a planta do pé sem contato direto com o solo.

É muito comum que este movimento aconteça para dentro (inversão), gerando lesão nos ligamentos da região lateral do tornozelo. Ou ainda para fora (eversão), dando origem à lesão dos ligamentos da região medial.

Quando ocorre a entorse do tornozelo, a depender do grau de lesão (leve, moderada ou grave), o tratamento será muito parecido. O que muda é o tempo em que o tratamento será concluído.

Quem sofre de entorse leve, com estiramento simples do ligamento, pode sentir um pouco de inchaço e incômodo ao movimentar a região. O tratamento indicado por fisioterapeutas nesta situação é a aplicação de gelo no local.

Uma lesão moderada já apresenta roxidão, inchaço e dorsalgia mais forte, exigindo um tratamento mais importante do fisioterapeuta. O gelo permanecerá sendo o mestre do tratamento, mas desta vez não mais por um ou dois dias e sim, por sete a dez dias. 

A imobilização pode ser interessante para evitar que o paciente, na hora de andar, agrave o quadro e necessite de tratamento medicamentoso mais intenso para dor.

A lesão grave já pode ser percebida pela impossibilidade de pisar e é importante que o paciente procure ajuda especializada urgente, além de todos os protocolos acima listados. Isso acontece porque será necessário uma reeducação daquela região após a retirada do imobilizador para que não aconteça a reincidência da torção no mesmo local.

Alguns exercícios de fisioterapia tem como objetivo o desenvolvimento da proprioceptividade (consciência da posição) do tornozelo, melhorando o equilíbrio. O profissional deve aumentar o nível de dificuldade progressivamente, considerando a intensidade da dor, é claro. Depois, o paciente pode continuar de maneira mais independente, em casa.

Por isso, é contraindicado permanecer com o gesso por muito tempo, para evitar que a reabilitação não aconteça de maneira muito lenta.

É possível que o tratamento também envolva bastante repouso e redução do peso do corpo, evitando a sobrecarga no tornozelo após a reabilitação. Muitos profissionais também utilizam meias compressoras de elástico para estabilizar o movimento e recomendam manter o membro elevado.

Os medicamentos geralmente prescritos envolvem antiinflamatórios e analgésicos para diminuir o incômodo e a dor. Uma intervenção cirúrgica só é realizada se não houver boa resposta ao tratamento de reabilitação.

Dicas para o fortalecimento do tornozelo

Algumas dicas importantes para o fortalecimento da área que podem ser utilizadas para evitar a torção de tornozelo e outras lesões.

  • Andar sem sapatos: estamos habituados a usar tênis para realizar atividade física, mas com isso estamos deixando de fortalecer nossos pés e tornozelos de maneira natural. Treinar a estabilização dos pés, trabalhando-os junto com os tornozelos, é uma excelente maneira de mantê-los fortes para impactos durante atividade física. Porém, é necessário manter a atenção no movimento e na pisada para trabalhar os músculos desta região e por este motivo é tão importante conhecer o seu tipo de pisada (supinada, neutra ou pronada).
  • Fortaleça os tornozelos com faixas elásticas (conhecidas como Thera-band): exercícios utilizando a resistência do material são ótimos para o fortalecimento da região. Recomenda-se três séries de cada puxada, em direções diferentes. É possível realizar o exercício sentado, com as pernas esticadas, tensionando a parte inferior do pé para si e para frente, como um exercício de fortalecimento da panturrilha.
  • Alongue os tornozelos: antes de levantar e começar o seu dia, pela manhã, faça um exercício de alongamento dos tornozelos utilizando bolinha de tênis, movimentando-a lentamente sob a sola do pé, fazendo pressão. Além de relaxante, este exercício é capaz de estimular a circulação e alongar os ligamentos do tornozelo, evitando que eles sofram com a ação do dia a dia.

Ao sinal de dor associada a edema ou hematoma na região lateral do tornozelo, além de dificuldade para caminhar, procure um médico especialista e se necessário, realize exame de imagem para se certificar de que não há fratura.

O tratamento deve ser iniciado o quanto antes para não comprometer as atividades da vida diária. Em caso de dúvida, aplicação de gelo e elevação do membro, além de repouso nas primeiras 72 horas, são bem vindos.

O tratamento fisioterapêutico é fundamental para uma recuperação completa, saudável e consistente das entorses do tornozelo. Ainda assim, não se pode deixar de fortalecer os músculos da região, de modo a devolver a estabilidade passiva e ativa do tornozelo

Leia também Fisioterapia para o joelho: prevenção e tratamento de patologias

Posts Populares

O Vila Madá

O Pilates Vila Madá está em atividade desde 2007 e foi totalmente planejado para oferecer um atendimento diferenciado. Com ambientes amplos, modernos e bem equipados, o local conta com profissionais extremamente capacitados para lidar com cada aluno de forma individual e personalizada.

Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência.